22/12/2013

Resenha | Menino de Ouro - Tarttelin Abigail

Menino de Ouro

Editora: Globo Editora
A família de Max não permitiria nenhum desvio na imagem perfeita que havia construído. Karen, a mãe, é uma advogada renomada, determinada a manter a fachada de boa mãe, esposa e profissional. Steve, o pai, é o exemplo do chefe de família presente em sua comunidade, favorito a um importante cargo público. O ponto fora da curva é Daniel, o caçula, que, para os padrões da família Walker, é “estranho”: não é carinhoso, inteligente ou perfeito como Max. Melhor aluno da escola, capitão do time de futebol, atlético, simpático, sucesso entre as garotas: Max, o primogênito, é o menino de ouro. Ninguém poderia dizer que sua vida não é perfeitamente normal. Ninguém poderia dizer que Max esconde um segredo. Ele é diferente, especial. Max é intersexual: nasceu com os dois conjuntos de cromossomos, XX e XY e, portanto, é menino e menina. Ou nenhum dos dois. É a partir do olhar de cada pessoa que orbita a vida de Max que a autora Abigail Tarttelin compõe a sua narrativa em Menino de Ouro. Cada uma das personagens esboça seu dia a dia, suas inseguranças e conquistas, e, principalmente, seu relacionamento com Max. Apesar da dimensão de seu segredo, Max parece à vontade com sua vida. Seus questionamentos sobre sexo, relacionamentos e até sobre rejeição são tantos quanto um adolescente de 15 anos poderia ter. O cenário muda drasticamente quando Hunter, seu melhor amigo desde a infância, volta do passado e abusa de sua confiança da pior maneira que poderia. No romance, Abigail Tarttelin trata de forma sensível, mas direta, as questões da identidade e do que consideramos “ser normal”. A autora traz à tona questionamentos sobre até que ponto o gênero sexual define uma pessoa e suas relações, por dentro e por fora. 


Aos dezesseis anos de idade, Max Walker é popular, atlético e atraente. Os professores e as meninas gostam dele, e sua mãe pensa nele como seu anjo perfeito. Mas a família de Max está escondendo um segredo: Max é intersexual. Estritamente falando, ele não é biologicamente homem ou mulher. Mas Max identifica-se como um menino e ele gosta de garotas, então seus pais o criou como um homem. Quando Max nasceu, seus pais não poderiam concordar com um curso de tratamento, então eles não fizeram nada, apenas guardaram o segredo e deixaram Max ser atratado como um garoto "normal".

Mas o segredo de Max tem sido ignorado por muito tempo, e ele vem para a superfície de uma forma terrível. O livro começa com uma bomba. Um acontecimento chocante, que cria uma longa lista de perguntas e um toque que eu realmente não esperava. Na sua essência, é uma história de amadurecimento, mas tem a tensão de um romance de mistério. Mas não vou citar aqui na resenha. Sorry

Ele realmente é um menino de ouro, nunca se meteu em encrencas, e eles são a família de ouro. O único problema, é claro, o segredo e como eles tratam o "problema" de Max - haveria uma outra maneira de lidar com isso, mas optaram pelo segredo.

Seu gênero é tratado como um filho pelos médicos quando necessário, mas a questão nunca foi completamente resolvida - sua mãe queria que ele fosse designado como macho ou fêmea (tendo um de seus órgão retirados na cirurgia), seu pai sentiu que não havia necessidade, até Max ficor mais velho e pode escolher por si mesmo.
Então eles deixam Max como um verdadeiro intersexual, além de alguns tiros hormonais. Ele identificou como menino, então ele foi criado como um "ele".

Este é o primeiro romance de Abigail Tarttelin, e é tão bom que eu só posso pensar estas pequenas críticas: Ela sempre mostra que os personagens estão nervosos, tornando-os corar ou mastigar as coisas, e fica perturbador, por isso é um estória tão difícil de resenhar, tanto que você se coloca sem querer dentro da estória, como um familiar, amigo, ou até mesmo Max.

E o médico é uma personagem plana que existe apenas para transmitir informações médicas. Ela às vezes soa como Wikipedia, e não uma pessoa real.

Mas as minhas queixas são pequenos, e eu estou tão impressionada com abordagem multifacetada de Tarttelin para a história. Ela mostra as várias maneiras que o segredo e toda a sua precipitação que se seguiu afeta toda a família, e não apenas Max. No final, no entanto, a minha coisa favorita sobre este livro é que Max não é o problema, o segredo que é o problema.




Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Ouvi pouco a respeito desse livro e sua resenha me deixou curiosa para lê-lo logo. Gostei do tema tratado por ser diferente do que está em alta no mercado atualmente. Ótima resenha e adorei o blog. Se der de uma olhada no meu blog, esta no início mas já tem algumas resenhas publicadas. :)

    http://onceuponatimebycams.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Copyright © 2016 Meu Livro Preferido
| Distributed By Gooyaabi Templates